sábado, 15 de setembro de 2007

Chato no banco


Esta meus amigos, é uma crônica sobre os chatos. Os chatos são pessoas que ficam entediadas com extrema facilidade, e para o nosso azar, eles precisam acabar com o tédio deles. Foi assim que tudo aconteceu.

Mauricio estava na fila do banco, de saco cheio de tanta espera, entediado, quando percebeu um rosto conhecido(amigo é palavra forte, então vamos de conhecido mesmo) e gritou lá no meio da fila:

_ Roberto, olha eu aqui!

Roberto, o conhecido, fingiu não ter ouvido, mas já era tarde demais, Maurício já o reconhecera, e para piorar havia gritado o seu nome.

_ Hei cara, não vem com essa brincadeirinha chata de surdo não, vem pra cá.

Roberto, temendo passar mais vergonha do que já estava passando resolveu ir até Maurício, (pra quê ele foi fazer isso?).

_ E aí Maurício, beleza? – disse Roberto, sem graça.
_ Robeeerto, velho de guerra, como ta a força? – berrou Maurício.
_ To legal cara – mais sem graça ainda, coçando o ouvido – e você?
_ Mano, ainda que tu me perguntou – disse com uma alegria irritante –ta ligado o Juca, aquele que te bateu na frente da escola inteira no segundo ano e depois roubou a tua bermuda fazendo você ir embora para casa pelado? – falou alto o suficiente para todos ouvirem e abafarem risadinhas.
_ Ah sei, mas agora não vai dar cara – disse Roberto envergonhado, tentando despistar o chato - tenho um compromisso urgente e...
_ Ah, conta outra cara, tu ta na fila desse banco aí com esse envelopão, ta na cara que vai fazer um depósito. O que é, hein, é de roubo? – sussurrou alto(coisa de chato) fazendo cara de sacana.
_ Claro que não. Tchau Maurício.
_ Ô Robesta(apelido de infância que Roberto odiava), volta aqui sô.

Roberto voltou nervoso, quase chorando e disse:

_ O que foi MALAurício?
_ Hahahaha, malaurício foi ótima – deu um soco no peito de Roberto rindo muito – o que vai fazer esse fim de semana?
_ Vou viajar lá pro Paraná – mentiu Roberto para se safar de um convite desagradável – família, sabe?
_ Ah sei, cara, quando tu voltar tu... hei, o que é isso? – disse Maurício apontando para o peito de Roberto.

Roberto olha para baixo e Mauricio sobe o dedo rindo muito, mas a sorte finalmente sorriu para Roberto, chegou a vez dele na fila, que fez o seu depósito e vazou antes de Mauricio ter a chance de falar com ele novamente.
Ah, e Maurício depois foi para o estádio de futebol assistir um jogo, deu a maior briga lá porque ele gritou, brincando, que um cara do lado dele torcia para o time rival, mas isso já é outra história de “Maurício, o chato”.

Lembrem-se, os chatos estão em todos os lugares, e a próxima vítima deles é você...

Quem sabe não teremos mais uma história de chato...

7 comentários:

Carlos Filho disse...

Tem remedio pra isso ai já!

Cissa Teixeira Oliveira disse...

Ai... Pra esse cara aí ser chato ele precisa melhorar um pouquinho, né não?!

Flavio Carvalho disse...

hahahahahha,

tem um quadro no zorra total
sobre um chato, vi pela primeira
vez sábado pasado,

que que é aquilo cara?

"Zidane, Zidane"

ahahahahhaha, ah néimmm,

esses roteiristas hein?

Ciro M. Costa disse...

Hahhahahahahahah!!! Se esse tal de Maurício existe, tem que morrer. Vai me desculpar, mas tem que morrer.

jorge de marques disse...

Putz, q mala.

Tudo teria sido melhor se o Roberto tivesse gritado de longe: vai pra PQP!me deixa em paz seu FDP!

Pronto - O desgraçado do Malaurício tinha ficado na dele. Quem sabe. né?

Algumas vezes a pior coisa q se faz é ser educado com gente chata.

Rafael disse...

noooooooooo que cara mais mala isso me lembra algumas pessoas é foda isso ja conheci muitos mas nao a esse ponto hahhahahaha
muito bom pietro,agora vou entrar mais aqui no estourou,porque nem tava sabendo disso
valeu

Rafael disse...

noooooooooo que cara mais mala isso me lembra algumas pessoas é foda isso ja conheci muitos mas nao a esse ponto hahhahahaha
muito bom pietro,agora vou entrar mais aqui no estourou,porque nem tava sabendo disso
valeu