sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

MENINA DAS ÁRVORES - PARTE FINAL

Por Ciro M. Costa

Bem, é engraçado estar aqui, no final das contas. Depois de tudo o que passei, assim como tudo, deveria, claro, haver um fim.
Minha jornada foi longa. Para quem leu essa história pode ter parecido tudo um piscar de olhos. Os fatos pareciam acontecer muito rapidamente... mas, acreditem, para mim foi uma eternidade. E essa eternidade ainda não acabou, como toda eternidade tem que ser.
Pra mim, na verdade, fora tudo um aprendizado. Claro! Que tragédia em nossas vidas que não é? Você está num bom momento, cuidando de sua vida, sua rotina... e, de repente, as coisas ruins começam a acontecer. Então você tem que se desviar do caminho, e é aí onde aprende coisas novas sobre a vida. Ou a morte.
- Quem é você?
- Eu já lhe disse. Meu nome é Alice.
- Você... você existe mesmo?
- É difícil explicar.
Muitas pessoas dizem que Deus nos envia uma espécie de 'ajuda' nos momentos mais difíceis. Será isso verdade? Será que nós mesmos não somos capazes de pedir uma ajuda especial, mesmo inconscientemente? Por que tantas pessoas aparecem em nossa vida, e depois desaparecem para sempre? Pare pra pensar. Talvez elas nunca tivessem estado ali.
- Quero tocar você.
- Você não pode, Joshua.
- Por que???
- Não sou quem você pensa.
Mas mesmo que você não acredite em Deus, saiba que há uma força por trás de tudo. Seja de você ou de algo do 'além', ela vem até você. Você pode não aceitar, mas ela estará lá e, de alguma forma irá te ajudar. Ou te atrapalhar. Ou estará lá apenas para te confundir. Por que?
- Estou apaixonado por você, Alice.
- Então, escreva.
- Hein?
- Escreva sobre mim. Há séculos escrevem sobre mim, seja em histórias ou em canções. Faça sua parte, e me darei por satisfeita.
- Mas o qu...
- Escreva o que quiser.
Jamais viram Alice na árvore comigo. Muitos afirmam ter-me visto sozinho, lá em cima.
Não. Alice não foi fruto de minha imaginação. Tampouco fora um sonho. Alice não era um espírito de uma garota que veio me visitar. Não sou médium e nunca fui esquizofrênico. Quem ou quê era Alice então?
- Quero que seja feliz, Joshua.
- Isso é uma despedida?
- Sim. Você não me verá nunca mais, mesmo em outra vida. Eu disse que estaria aqui enquanto você precisasse, e esse tempo já passou. Agora é hora de você seguir seu caminho, e eu o meu. Se é que existe um caminho pra mim.
Assim como eu, você pode querer se perguntar várias vezes quem era a 'menina das ávores', mas jamais irá conseguir. Imagine: se Deus criou o mundo, então... quem criou Deus? Você vai penetrar nesse pensamento profundo, e por mais que se esforce, jamais irá encontrar uma explicação lógica. É apenas um exemplo.
Assim é com Alice. É preciso aceitar que estamos nesse mundo sem precisar saber de tudo. Pra tudo há uma explicação, mas nossas mentes estão limitadas. E é se aproveitando disso, que criaturas como Alice aparecem em nossas vidas.
Alice se alimentou dos mistérios que a rondaram. E depois de satisfeita, ela simplesmente foi embora, como tem feito há muito tempo...
- Você não pode me abandonar...
- E você não pode dizer o que se pode fazer, Joshua.
Muitos de nós querem fugir de seus problemas. Vamos para um lugar sossegado para pensar na vida e curtir um pouco de nós mesmos. Alguns sobem em árvores.
- Essa árvores te trouxe bons momentos, Joshua?
- Os melhores de minha vida.
- Então, não deixe de vir. Suba aqui quando puder, assim como fez no primeiro dia. Converse com ela, assim como fez todo esse tempo. Acredite, a árvore gosta de você. Ela me disse que pode pegar seus frutos sempre que precisar.
- Alice, eu...
- Tome, Joshua bobo!
Naquele dia, Alice me jogou uma bela goiaba. Mas quando peguei a fruta no ar, a menina das árvores havia desaparecido. Desapareceu, como se jamais houvesse aparecido...
Hoje encerro a história que Alice me pediu. Não sei se os autores antigos escreveram algo verídico sobre ela. Vai saber de que forma ela apareceu para eles, ou o que lhes disse. Não me importa mais. Achei que Alice fosse uma exclusividade minha. Um presente do "outro lado" para Joshua. Mas não fora nada disso. Fora apenas 'algo' que apareceu e que já havia aparecido.
"E então Joshua morreu um dia, e para sempre estava naquela árvore, rindo e conversando com Alice, a sua menina das árvores". Era esse o final que esperavam? Sinto desapontá-los. Também estou desapontado.
E todos nós aprendemos uma lição.
.
.
.
Nota do autor: essa história foi encontrada debaixo de uma árvore, na década de 80. Segundo as histórias da cidade local, uma moça dizia insistentemente que havia encontrado um belo rapaz em uma árvore, e que havia se apaixonado por ele. Mas ninguém nunca conseguiu vê-lo. Decepcionada com seu desaparecimento, a moça escreveu essa história, e não se sabe até hoje se esse rapaz, chamado Joshua, realmente existiu.
O que se percebe é que a autora (que se chamava Alice) escreveu tudo, apenas invertendo os papéis.

3 comentários:

Ciro disse...

Bem, amigos, depois de mais de 2 meses, chegamos ao final de mais uma saga, rompendo a barreira da "preguiça de final de ano".
Quero agradecer a todos que acompanharam a história, mesmo aqueles que não comentam. É engraçado como parece que não, mas mais pessoas lêem o nosso blog.

Gostaria de deixar claro aqui também que essa saga não era nada do que teria ter feito. Hahahahahah!! A idéia inicial era fazer um conto bem maior e bem mais dramático. Pra falar a verdade, era para TODO MUNDO ter morrido, inclusive Alice. Mas de alguma forma, não tive coragem de fazer isso com alguns personagens, mesmo a Lucíola.
Quis também escrever algo dramático, mas no final não consegui deixar de colocar o elemento 'fantasia' na história (nunca consigo mesmo, hahahahahah!)O resultado foi essa saga (escrita às pressas, diga-se de passagem). Mas é só para esquentar o ano, pessoal! Pretendo continuar postando aqui, pelo menos até o dia de minha morte. Já tem bastante material pronto (aliás, metade dele só 40% pronto).

Espero que tenham gostado. Ou, se não gostaram, não tem problema, afinal, no começo eu avisei: UMA SAGA QUE NINGUÉM VAI GOSTAR!

Obrigado pela atenção e, eu garanto, os próximos textos serão melhores que MENINA DAS ÁRVORES!


(Antes que digam alguma coisa, não estou dizendo que a saga foi ruim, mas também não foi boa. E também não estou fazendo isso por 'carência', só para depois alguém vir e falar "não foi ruim, Ciro, foi muito boa!". Nada disso!! Podem meter o pau nos comentários à vontade!)


Abraço!

Vaides Junior disse...

Filhãããããão!!!

Esse tinha que ser o final principal... haiuhaiuahiau

Muito mais surpreendente... Mas continuo me valendo dos comentários q fiz no boneco verde.

Cecilia Teixeira Oliveira disse...

Aahahiuahiuahiuahiuahiai!!!
Massa!!! Gostei dessa versão também... Tipo aqueles filmes que têm uma cena final depois dos créditos...