terça-feira, 10 de julho de 2007

Tem uma pedra no meu sapato - Parte III

Dormi e no dia seguinte peguei o telefone e liguei para a Carol (a cobrar, pois eu estava sem linha).

_ Alô, Carol?

_ Quem é?

_ É o Pietro.

_ Fala viadinho. (odeio essa mania).

_ Tenho uma coisa para te contar, vem pra cá rápido, beijos, tchau.

Naquele exato momento eu pensei na zona que a casa estava, e no que a Carol sentiria quando chegasse lá, mas eu fazia idéia: A princípio ela sentiria nojo ao ver a casa, depois sentiria o cheiro e correria até o banheiro para vomitar(xiii…será que eu dei a descarga?) e mais tarde nós conversaríamos.

Carol chegou, sentiu nojo, sentiu o cheiro, foi vomitar (eu tinha dado a descarga, ufa!) e depois veio falar comigo e eu comecei:

_ Adivinha o que eu tenho no meu sapato.

_ Um par de meias velhas?

_ Fora as meias.

_ Sujeira?

_ Não, põe a mão aí dentro para ver se encontra alguma coisa.

_ Eu não. Deve ter um bicho aí dentro.

_ Você acha que eu faria isso com você?

_ Tá legal, pode até não ter bicho nenhum, mas daqui eu estou sentindo esse chulé infernal.

Eu, sem esperanças de que esse plano daria certo resolvi pegar o diamante eu mesmo, e ao mostrar para Carol, ela ficou surpresa e disse:

_ De onde você roubou isso?

_ De lugar nenhum, essa porcaria estava no meu sapato o dia todo.

_ De onde veio isso?

_ Não sei, temos que ver por onde nós fomos ontem e hoje, faz idéia?

_ Faço, você vai ter que devolver isso, sabia?

_ Aham…mas esse dinheiro ia me ajudar tanto…

_ Sem ‘mas’ Pietro, você vem comigo, nós vamos devolver isso.

Droga, não deveria ter chamado ela, maldito senso de justiça o dela viu, e o pior de tudo é que ela está certa, aliás, aposto que vai sobrar no meu, afinal, quem vai acreditar que tenha caído um diamante no meu sapato, acidentalmente ainda por cima.

Entramos no ônibus e eu tentei argumentar com a Carol:

_ O que você acha de cada um ficar com uma metade da grana?

Deu errado… Eu estava sentindo tanta raiva da Carol naquele momento, este seria o fim das minhas dívidas e dos meus problemas. Mas Carol estava irredutível, ela não aceitava ganhar dinheiro deste jeito. Por que será que ela tinha que ser tão honesta?

_ Chegamos no ponto – disse a Carol.


Xiiii! E agora? Sai dessa Pietrão! Isso é o que dá confiar em mulher.

Não percam o emocionante desfecho dessa história.

8 comentários:

Carlos Filho disse...

AAaaah, come essa vagaba, rapá!
hahahahahahahahaahaha

Mas você não sabia que o diamante era da Joalheria? É de lá, pronto agora que já sabe nem precisa entregar!

Ciro M. Costa disse...

Carlim: FILHÃÃÃÃÃÃÃÃO!!!!!!

Pietro: vou aguardar o emocionante desfecho para comentar tudo de uma vez. Aliás, a Carol está certa. Dinheiro não compra integridade não, rapaizim!

Flavio Carvalho disse...

Filhote!!!!

não vai na onda não,

pega logo a grana rapaz!!!!!

Bruno Carvalho disse...

O loco meu! estou ansioso para ver o que vai virar essa história!!
Por enquanto está legal!

Abraços!

Anjinho disse...

Querido Pietro,
Devolva o diamante. isso não lhe trará beneficios!

Diabinho disse...

Enfia esse diamante no cu, no CUUU!
Pega essa GRANA, cara! PEGA ESSA GRANAAAA!
Peida no Elevadô, manu, vai lá e pega essa mulhé!!!

Anônimo disse...

Nóóóóóóóóó, que puta zoeira meu!

Cissa Teixeira Oliveira disse...

Uahuahuahuah!!! Comentários interessantes estes daqui, viu?! Quero ver se o nível vai continuar o mesmo quando as meninas começarem a freqüentar o blog... Quanto ao texto, tô roendo as unhas de curiosidade...