quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Trouxas no more!

Bom dia, boa tarde ou boa noite meus caros amigos, colegas e leitores. Hoje é mais um daqueles dias onde o meu fluxo criativo está praticamente inexistente, o que me impede de inventar uma história decente, então eu utilizo a solução tradicional(prepare-se para a rima), vou contar uma história real(hahaha, te peguei).

Tudo se passou em meados do ano de 2007, onde eu ainda estava em um feliz 3º ano. Como já é do conhecimento de todos, sempre existe uma horda de idiotas no terceiro ano, aliás, todos são idiotas, a diferença é que tem os idiotas de quem você gosta, que você não considera idiota, e os de que você não gosta, que são os grandes idiotas, e é sobre esses que venho lhes contar hoje.

Tudo já estava acontecendo desde o começo do ano, onde um grupinho de uns 3 ou 4 imensos IMBECÍS que devem ter me achado com uma imensa cara de BABACA e ficavam me encarando, sem parar, o que me irritava, mas quem não se irritaria? No começo eu pedia para parar, o que era um erro, já que era assim que eles percebiam que eu ficava incomodado.

Mas como diz o velho ditado, tem uma hora que o saco enche, e o meu, afinal de contas, se encheu. Foi um dos momentos mais felizes de toda a minha vida.

O ocorrido aconteceu durante uma aula de Delphi 7, sim, para os que não sabem eu fiz um tecnico de informática, onde estava acontecendo a tradicional "encarada", neste momento, enquanto o professor explicara a matéria eu levantei a mão, e ao conseguir a palavra disse:

_ Professor, o Rodolfo e o Bruno estão me paquerando.

A sala riu, e quando o professor conseguiu segurar o próprio riso, ele perguntou:

_ Como assim, Pietro?
_ Ah, eles ficam me olhando toda hora, sem parar, nem piscam, só tiram o olhar de mim pra fazer um comentáriozinho um pro outro e dar uma risadinha, eles tão me paquerando - respondi.

O professor dirigiu-se aos dois e deu-lhes uma bronca, mas eles negaram tudo, mas não estavam conseguindo convencer ao professor de que minha versão era falsa, aí eles olharam para mim e o Rodolfo disse:

_ Por que você falou isso? Tá louco?
_ É que você não faz o meu tipo, velho. - respondi.

Mas no final dessa eles nunca mais nem me olharam, digo, apenas uma vez, mas aí eu pisquei um dos olhos, mandei um beijinho e ameacei levantar a mão, mas depois disso, nunca mais.

E essa é a minha história de hoje que não aconteceu hoje.

4 comentários:

Ciro M. Costa disse...

Hahahahahhahahaha!!!! Que bando de viadões, hein??

Se saiu bem, filhão! Muito boas essas suas histórias da vida real (sem rimas!)

Carlos Filho disse...

Cara, realidade nua e crua...hehehhe

Sem disse...

nóooooooooo, boa filhão, o massa e que aquela menina gostosa que te olhava e queria te dar, já era,

kakakakakakakka

Cecilia Teixeira Oliveira disse...

Ahahahahahahahahah!!!
Que luxoooooooo!!!
Arrasou, Pietro!!!
Ahahahahahahahahah!!!