quinta-feira, 3 de abril de 2008

O resgate VII

Os três acordaram e foram para a praia, chegando lá foram atrás de algumas arvores, queriam uma que precisasse de cinco homens grandes para abraça-la, passaram horas procurando uma, até que encontraram. Para derruba-la Fenol jogou a magia do raio três vezes na base da árvore, porém só pegou metade dela, foi o suficiente para que Helsing pegasse a sua massa e começasse a golpear a árvore, que caiu com um forte estrondo. Passaram o resto do dia tentando levar a arvore até a praia.

Depois desse dia voltaram até a hospedaria, mas ninguém fez nada contra eles, então eles subiram e foram descansar. Na manhã seguinte foram descascar a árvore, passaram o dia inteiro nesta atividade, mas terminaram com um bom adiantamento, já que eles planejavam fazer isso em um dia e meio, não em um dia.

Na hospedaria eles se alimentaram sob os olhares cruéis dos habitantes da pequena aldeia e logo depois foram descansar. Começaram a dar modelo ao pequeno barco na manhã seguinte, ficaram cerca de 5 semanas dando modelo a embarcação, utilizando as machadinhas, a espada, a massa e as adagas.

Depois que o barco foi modelado com uma metade dele sendo descoberta e a outra coberta, tudo com o mesmo tronco e deixando a embarcação bastante uniforme, eles foram atrás de uma arvore que bastasse apenas uma pessoa para abraçar, esta foi fácil de encontrar.Descascaram essa arvore, endireitaram-na para que ela virasse um mastro para o barco, e aproveitando os galhos que tinham construíram um mastro completo. Na manhã seguinte eles se encarregaram de fazer um buraco no grosso chão do barco para eles colocarem o mastro, terminaram após três dias de trabalho. O outro dia foi duro, tiveram que cortar mais duas árvores do tamanho da arvore do mastro e uma um pouco menor, desgalharam e descascaram no dia seguinte.
Ficaram mais um dia inteiro montando o barco, ao final desse dia só faltava o mastro para que o barco ficasse pronto. O dia seguinte foi trabalhoso apenas para Fenol, que fez uma espécie de poção impermeabilizante para que a água não infiltrasse na madeira e para que eles não corressem riscos desnecessários durante a viajem. No dia seguinte passaram a poção em cada milímetro do barco, para assegurar que este seria bem seguro. Depois, no penúltimo dia, enquanto Binlamano comprava cordas e uma vela, Fenol fazia uma cola muito forte, para jogar no buraco onde o mastro ficaria, fez a cola e os três colocaram o mastro, que ficou firme e encaixou com perfeição. No dia seguinte enquanto Fenol levava os cavalos para um celeiro, para que cuidassem deles enquanto estavam viajando, Binlamano e Helsing passavam as cordas e colocavam as velas no barco, que no final do dia estava finalmente pronto. Era uma embarcação de três eixos, o que ficava no meio era o principal, onde os três passariam durante a viajem, os que ficavam dos lados era apenas para que o barco tivesse equilíbrio, presos por uma madeira, colocaram uma rede de cordas entre os eixos para evitar acidentes. No dia seguinte começaria a viagem.

6 comentários:

Ciro M. Costa disse...

Putz, um capítulo inteiro só pra construir um barco? Tem razão, Carlim! Esse negócio vai até o 30! Hahahhahahaha!!

Brincadeirinha!!!!

Senhor Capitão disse...

além de tudo, Fenol e sua gangue são carpinteiros também.

Carlos Filho disse...

O que é "massa"???

Pietro disse...

Massa é aquela enorme bola de ferro presa em uma corrente que o cara fica balançando até golpear outro, saca?

Ciro M. Costa disse...

Aquilo lá é 'maÇa', Pietrão.

Carlos Filho disse...

Mas aquilo não se chama "Enorme bola de ferro preso a uma corrente"?