segunda-feira, 3 de setembro de 2007

O Dragão violento!

_Rapais! Fiquei cansado só de subir esse morro.
_Ficano Velim hein bem?
_Aiaiai, olha só, o adolescente falando.
_Pelo menos eu ainda não passei dos trinta.
_Nem eu.
_Filhão!! O jovem pára e fica olhando com cara de sarcasmo, e logo depois diz: Pra cima de mim!?
_È ué eu ainda tô nos trinta, não passei ainda.
_Aaaaaa, tá certo então, vamo aonde no Prazerola?
_A gente foi expulso da última vez esqueceu?
­­_Eu não, mas talvez a Dona Daisy esqueceu.
_Uai, vamo tentá então.
Os dois jovens continuam caminhando através de uma rua não pavimentada, até chegar em uma esquina bastante iluminada pela placa presente e os néons em rosa, , chegam no portão e um deles bate. O portão se abre e um rapaz moreno de boné olha pra eles, que retribuem o olhar com um sorriso largo.
_Ííííííííííí, fecha o portão.
_E aeeeeee João beleza meu? Fala um dos jovens.
_Ó! A Dona Daisy num qué ceis aqui não.
_Que isso Jõaozim, brinca não filim..
_A sorte é que ela ta viajano, abre o portão novamente.
_Aaaaaaaa, vai se fudê Joãozim.
_Hahahaha, e aí véi,tem menina nova ?
_Rapais Chego uma aí de São Gotardo que ó!!! Nossa sinhora viu.
_Ôpa, tô dentro, falo! Um dos jovens foi andando na frente.
_Falô Joãozim, depois dá um chego lá dentro.
_Falô.

_Fael?
_Fala.
_Cê ainda freqüenta a casa do Joãozim?
_Filhão! Fala baixo, foi só uma vez.
_Sei, sei.

Os rapazes vão andando por um terreno coberto por pedras tipo brita, até chegar em um portal com uma cortina preta, ao moverem a cortina adentram em um ambiente escuro-avermelhado.

_Aaaaaaaaaaaaaaa!!!! Henrique!! Grita uma moça loira, correndo e pendurando no pescoço de um dos rapazes, o outro pára e fica olhando os arredores.
_A aee meu bem, trabalhando muito? Henrique dá dois tapinhas na cara do Mickey, que se encontra na parte frontal da minissaia da moça.
_Ah pára bobo!!E aí Rafael, tudo jóia, ela estende a mão pra ele.
_Áaaa é assim que funciona? pra essa bichona, cê vem toda serelepe, e pra mim mãozinha estendida?
_Ah, mais eu e a Michelinha é paixão antiga, diz Henrique dando um selinho em Michele.

_Rafaellllllll! Grita uma morena sentada numa mesa com um velho de chapéu, logo após levanta e vai de encontro a ele.
_Oi meu amor, tudo Jóia.
_Sumiu, que que foi.
_A gente foi expulso esqueceu?
_A é.
_Quem é o pica grossa ali na mesa?
_Fazendeiro pelo jeito! Hoje não vai dá pra gente fica junto meu bem, tenho que consigui um dinhêro, que este ano eu quero fazer uma festa de aniversário pro Jonas.
_Tá meu anjo, vai lá.
_Vai ajudá na festinha do seu filho? Henrique pergunta pra Rafael.
_Seu butão.
_Háhahahaha, Chelinha aquela cerveja gelada!
_Tá bom!

_Ahhh, cerveja e buceta, o que mais um homem pode querer.
_Dinheiro?
_Opa! Verdade, a mesa de sempre, né?
_Tá ocupada!
_Então vai nessa mesmo.

_Olha só, quem é vivo sempre aparece!!! Disse ao ver os dois, uma morena jambo, com um vestido vermelho rodado, até o joelho.
_Ô Dendê, ta gostosa hoje hein? Disse Henrique medindo-a com os olhos.
_São seus olhos meu bem, disse Dendê sentando, Faelzim, como é que ce tá?
_Melhor agora paixão.
Chega a loira com a cerveja, e três copos.
_Ô Bombom, trás mais um copo pra mim, vamo aproveitá que esses mão de vaca tão pagano.
Michele saiu, com ares de má vontade.
_Mão de vaca nóis Dendê, que isso? Falou Henrique.
_Hum, quem é que vinha aqui, as menina ficava tudo em volta, e não consumia quase nada, e os outros freguês putos.
_Que isso Dendê! Disse Rafael.
_E seis acha que fôro proibido de entrá porque? implicância?
_Achei que era por causa da filha da Dona Daisy.
_Cria vergonha sô, disse Dendê dando um tapa em Henrique, a minina nem saiu das fralda ainda.
_Uai, fez uma sombra de meio metro já ta na hora do abate.
Chega Carla, gordinha, baixinha e vai sentando a mesa
_Iiiiiiiiiiii, disse Rafael.
_Iiiii o que ó, vê esse copo aí, disse a loira pegando o copo do Henrique, pois o do Rafael estava distante.
_Iiiiiiiiiii, disse Henrique, enquanto a Loira só olhou de rabo de olho enquanto virava o copo.
Michele chega com mais um copo.
_Ô judiação, brigado bem! trás mais um copo pra mim fofa, que essa vadia aqui pego o meu.
A loira deu um tapa na cabeça do Henrique.
_Ai!
Michele faz cara de cu, mas sai para atender o pedido do Henrique.
_Ahm trás mais outra ampola pra nós querida!! grita Rafael fazendo sinal com as mãos, ela só olha pra trás e continua.
_ Brigaaado bem, brigado, diz Rafael.
_E aí, num vai te uns strips pra nóis hoje? Perguntou Henrique.
_Dez pau e eu faço! Falou Carla.
_Ocê, nem de graça! Falou Rafael, levando um beliscão logo em seguida.
_Aiii Fofa, brincadeirinha, falou com voz afeminada.
Hoje a novata vai fazer um mais tarde, patrocinado pelo figurão de chapéu ali, disse Dendê, tá se preparando e logo tá entrando no palco.
_Novata? Perguntou Henrique.
_Uma de São Gotardo , Metiiiida!
_Nariz empinado, cheia de coisa, disse Carla.
Henrique olhou para Rafael piscando um olho, e este respondeu com um leve aceno de cabeça, como se tivesse entendido o recado.
_Iiii, nem adianta bem, pelo jeito o figurão vai levá hoje, já deve ter deixado tudo pago. Disse Carla.
_Ué nem falei nada, disse Henrique.
Chega Michele com outra cerveja e mais um copo.
_Traz um Santa Cruz pra mim paixão, disse Henrique.
_Ahhhh, ó, ce quisé vai lá busca ó!! e sentou nervosamente.
_Que isso amor?
_Podexá que eu busco, disse Dendê rindo.

De repente a música parou, e as luzes se apagaram.
_Ôpa, vamo dá uma olhada no material, disse Rafael se ajeitando na cadeira.
Carla virou a cara fazendo careta para Michele.
Henrique esfrega as mãos e acende um cigarro que dendê acaba de trazer, depois de 10 segundos de silêncio acendem-se as luzes do palco, começa a tocar Billy Roubine’s Cadillac do “Talking About”.
Uma mulher de aproximadamente 1,75 m aparece de costas no palco, cabelo estilo coco channe’l, jaqueta preta, calça collan’t e salto alto, faz uma pose com uma perna mais flexionada que a outra, Henrique faz um bico como se tivesse levado um chute no saco, Rafael abre a a boca deixando a mandíbula completamente solta.
Ela se vira, apontando o dedo indicador, com unhas compridas e pintadas de preto para o público, se mexendo ao som da música.
_Cara, que rabo!!! Fala Henrique para Rafael.
Rafael continua parado com a boca aberta.
Nossa! mais hômi é um bixo bôbo mesmo né, fala dendê. Enquanto a stripper continuava o show.
_Olha só, olhinhos puxados! Morena! Que coisa!! ia dizendo Henrique enquanto Rafael continuava na mesma.
Ela dando duas voltas abaixou o colan’t sem flexionar as pernas de costas para o público.
_Úúúúú... Henrique repetia a feição do chute, Rafael só se reservava a abrir mais os olhos e chegar a cabeça um pouco para trás.
_Ò eu tenho mais coisa pra fazê viu, fica aí seus babão, disse Dendê.
_É num vai molha muito o chão viu, seguiu Carla, e logo depois Michele.
_Peraí, peraí, onde cês vão, disse Henrique segurando a mão de Michele, que fez um movimento brusco soltando-a.
_Mas muié é um bixo ciumento mesmo! Falou Henrique pra Rafael, que continuava com a mesma expressão.
Henrique olhou aquilo, e se lembrou olhando rapidamente para o palco de novo.
A dançarina agora, estava com a jaqueta aberta porém a segurava balançando ligeiramente, mostrando um pouco aonde se escondiam duas turbinas de F-14 . Ela vira de costas e deixa cair a jaqueta, aparece um imenso dragão, estilo serpente tatuado nas costas dela! Rafael e Henrique arregalam mais ainda os olhos hipnotizados pelo dragão, ela vira tampando os seios com as mãos, e logo depois com o braço descendo do palco.
_Putaquipariu! Disse novamente Henrique, Rafael agora começava a voltar a si.
Ela, caminhou por entre as mesas, parando próxima a mesa do fazendeiro, e agaxando e levantando novamente pegou a garrafa que estava na mesa. Foi andando e jogando a cerveja no chão, parou próximo a mesa enquanto Rafael a olhava, esta correspondeu o olhar, ficando um pouco sem graça, virou o rosto e continuou.
_Ahá, garanhão, disse Henrique dando soquinhos na perna de Rafael.
Na iminência de acabar a música, ela virou as costas, e neste momento Rafael observou de perto o Dragão o encarando com olhos vermelhos.
Ela tomou impulso e deslizou no chão lubrificado pela cerveja parando próximo ao palco, em posição performática na mesma hora que a música acabou! As luzes se apagaram, e quando acenderam novamente ela não estava mais lá.
Henrique se levantou aplaudindo, junto com os outros presentes.
_Uau!! Fiiiiiiiuuuuu!Isso é que é show!!!
Rafael permaneceu sentado aplaudindo e olhando a porta perto do palco, na lateral de sua boca, um largo sorriso se encaixava.

Continua...

4 comentários:

Pietro disse...

Isso ainda vai dar muito pano pra manga..hahahahaha

Anônimo disse...

dinovu?????

Carlos Filho disse...

Essa vagaba ainda vai dar trabalho!

argh, lemòn disse...

melhor que buceta e cerveja só dinheiro, pois dá pra conseguir mais buceta e cerveja.